Objetiva-se publicar biografias, histórias de vida e de batalhas relativas à Revolução de 1932. Caso saiba de algo, entre em contato. Para maiores informações envie mensagem à malusim53@yahoo.com.br.

domingo, 21 de maio de 2017

A JUVENTUDE CONSTITUCIONALISTA DE 1932.

                   

                       23 de Maio, Dia da Juventude Constitucionalista.



Heróis Paulistas.



22 de Maio de 1932 o povo e políticos estavam indignados com os últimos acontecimentos políticos.
Por toda São Paulo oradores inflamados pediam a derrubada do Governo Provisório.
Na Praça Patriarca discursos inflamados são proferidos por Ibrahim Nobre, José Lefevre, Gomes Martins, Dario Ribeiro Filho, Pereira Lima entre outros o que levou a multidão exaltada seguir em marcha pelas ruas centrais.

Entre as muitas ocorrências, e já no dia seguinte, a multidão estava descontrolada, indignada o que culminou com um tiroteio até as 4:15 da manhã de 24 de maio!
No chão, na esquina da Rua Barão de Itapetininga com a Praça da República, estão mortos os jovens Euclides Bueno Miragaia, Antonio Américo de Camargo Andrade, Dráusio Marcondes de Sousa com apenas 14 anos. Gravemente ferido por balas de metralhadora Mário Martins de Almeida, que faleceu ao ser removido para o pronto socorro. Feridos também, Jacinto de Oliveira Alvarenga e Orlando de Oliveira.
Horas depois as iniciais dos nomes dos mortos formaram a sigla da Sociedade que foi forja e martelo da Revolução Constitucionalista de 1932.






“O grito em favor da lei, da liberdade e da justiça operou o milagre, galvanizou as consciências ainda dúbias, incertas. A ressurreição de Piratininga expressava a ressurreição do Brasil. Rompeu a alvorada de 23 de Maio. Tinha o ideal dos paulistas, o condutor sereno e decidido: Pedro de Toledo.
Na ancianidade, ao esplendor dos cabelos brancos, encarnava ele a nossa coluna de fogo a levar-nos à luta orientada pela divisa do Brasão da Revolução Constitucionalista: “Pro Brasilia fiant eximia!” (Pelo Brasil, faça-se o melhor). Para a glória do emancipado da opressão e do despotismo, São Paulo se punha em marcha, ombro a ombro, com Mato Grosso, com a ajuda de brasileiros vindos dos mais longínquos rincões da Pátria comum.”








A movimentação do povo pelas ruas de São Paulo.









A multidão nas manifestações.












A lei 12.430, de 20 de junho de 2011, inscreveu os nomes de Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo, Heróis Paulistas da Revolução Constitucionalista de 1932, no Livro dos Heróis da Pátria.


Detalhe do cartaz dos Heróis Paulistas - MMDC



O Núcleo de Correspondência” Trincheiras Paulistas de 32 de Jaguariúna”, honra a todos os Heróis da Revolução Constitucionalista de 1932, Jovens Soldados Constitucionalistas. Que suas histórias de vida fiquem gravadas para sempre e que sirvam de exemplo para gerações futuras, por seus feitos, coragem, civismo, solidariedade e lealdade.



Fonte.

Jornal “A Gazeta” de 8 de julho de 1958, 9 de julho 1957, 9 de julho 1954. (Arquivo pessoal).

DONATO, H, A Revolução de 32, Ed. Círculo do Livro S.A., São Paulo 1982. 225 p.



Publicado e editado por Maria Helena de Toledo Silveira Melo.




Nenhum comentário:

Postar um comentário