Objetiva-se publicar biografias, histórias de vida e de batalhas relativas à Revolução de 1932. Caso saiba de algo, entre em contato. Para maiores informações envie mensagem à malusim53@yahoo.com.br.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Cartas de Paulo de Moraes Barros.


Entre as muitas correspondências recebidas por meu avô, de grandes nomes da política nacional, selecionei duas que me chamaram a atenção, um cartão por conter assuntos relacionados a Revolução de 1932, e outra onde Dr. Paulo de Moraes Barros faz muitos elogios a ele, o que muito nos honra.



Frente do cartão




Verso.



Dr. Paulo de Moraes Barros escreveu em “cartão de visita” o seguinte:

"Ao velho amigo Joaquim Norberto e a D. Ambrosina.
O Paulo de Moraes e Sinhá enviam cordial e saudoso abraço de despedidas. Não se esqueçam que S. Paulo não foi vencido. O que vale agora é a voz das trincheiras.
Pergunte aos seus valentes rapazes e distribuam com eles mais abraços nossos.
Tudo por S. Paulo unido!
Rio – 5-12-1932."









A carta enviada ao Cel. Joaquim Norberto de Toledo.






Alguns dados biográficos de Dr. Paulo de Moraes Barros:

Nascido em Piracicaba em 16/07/1866 e falecido em São Paulo em 16/12/1940. Médico, político, agricultor, senador, ministro. 1ª Núpcias com Elisa de Salles, falecida em Berlim em 1911, filhos: Cora, Helena e Paulo. 2ª Núpcias com Maria Luiza Quirino dos Santos. Era filho do senador Manoel de Moraes Barros e Maria Inês da Silva Gordo de Moraes Barros e sobrinho de Prudente de Moraes.
Formou-se em 1888 pela faculdade de medicina do Rio de Janeiro e no ano seguinte voltou a Piracicaba, instalando consultório a rua São José. Vereador, foi presidente da Câmara em várias legislaturas e exerceu o cargo do inspetor sanitário, liderando o combate as epidemias. Fez parte do corpo clinico da Santa Casa de Misericórdia local e participou como membro da Irmandade desta.
Exerceu vários postos elevados no governo do Estado e Federal. Foi intendente municipal em Piracicaba e chefiou o partido republicano da cidade. Em 1905-06 permaneceu na Europa em companhia da esposa, gravemente enferma. No segundo governo paulista de Rodrigues Alves, foi secretário da agricultura do estado. Esteve no oriente em fins de 1916 e representou o Brasil no congresso Algodoeiro de Viena e no congresso de Emigração em Roma.
       De maio de 1924 a janeiro do ano seguinte, permaneceu no Egito, para estudos sobre produção do algodão, a serviço do Ministério da Agricultura. Um dos fundadores do Partido Democrático, foi deputado federal em 1909-11 e 1927-29, senador, ministro da agricultura, ministro do Estado da viação e obras públicas e secretario da fazenda de São Paulo. A fazenda Pau D´alho, de sua propriedade, acolheu como trabalhadores os primeiros imigrantes japoneses em Piracicaba, a 07/09/1918.
Participou da Revolução Constitucionalista de 1932. Como administrador de grandes empresas, esteve a frente da Moraes Barros e Irmãos, Companhia Cafeeira de Rio Feio e Tecelagem Paraíba. Cambiaghi registra que pertenceu ao doutor Paulo o primeiro automóvel a circular em Piracicaba. Tendo falecido em São Paulo, seu corpo foi transportado para sua cidade natal e sepultado no cemitério da saudade.
Em sua homenagem há uma avenida com seu nome no Bairro da Paulista, em Piracicaba.
(http://historia.camarapiracicaba.sp.gov.br/vereador/395paulo_de_moraes_barros


Fonte das imagens arquivo pessoal.


Sobre o Cel. Joaquim Norberto de Toledo veja mais em http://mmdcjaguariuna.blogspot.com.br/2016/10/cel-joaquim-norberto-de-toledo-e.html






Editado e publicado por Maria Helena de Toledo Silveira Melo.
20/02/2017.


Nenhum comentário:

Postar um comentário