Objetiva-se publicar biografias, histórias de vida e de batalhas relativas à Revolução de 1932. Caso saiba de algo, entre em contato. Para maiores informações envie mensagem à malusim53@yahoo.com.br.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Dia do Imigrante



A data é comemorada desde 14 de novembro de 1957, quando o decreto n° 30.128, assinado pelo então governador de São Paulo, Jânio Quadros, determinou o 1° de dezembro como Dia do Imigrante. Essa data foi escolhida para coincidir com o primeiro domingo do advento, que significa "vinda, chegada". O advento corresponde às quatro semanas que antecedem o Natal e, entre os católicos, esse período é dedicado à preparação espiritual antes da vinda de Jesus.








Imigrantes na Revolução de 1932.


Um grande número de imigrantes radicados Brasil, participaram da Revolução Constitucionalistas de 1932, a maioria como voluntários.

 São Paulo agradece aos que deram a vida na luta pela nossa liberdade.

Abrindo o livro Cruzes Paulista, ao acaso, a página continha as informações biográficas de um voluntário português, a qual transcrevo a seguir e assim homenagear a todos os imigrantes.





                                 Antônio Amaro – Voluntário.


“Antonio Amaro era português de nascimento, há muito se integrara com a nossa gente da cidade e do sertão. Morava em Tanaby. Iniciada a Revolução, fez parte da comissão local do MMDC, a eficientíssima organização da retaguarda. Não ficou satisfeito, porém, com o valioso auxílio que ali prestava. Quis fazer mais. E, conhecedor da região do Porto Taboado, tornou-se guia das tropas comandadas pelo Cap. José Teixeira Pinto. A 12 de agosto ia ele na frente da tropa, próximo ao córrego do Jacu Queimado, quando ao frontear a uma residência, uma força adversária atacou-a de surpresa. Antônio Amaro foi o primeiro a cair, com um ferimento na cabeça, morto no mesmo instante. Seu corpo foi, pelos adversários, jogado ao Rio Paraná, sem que os remanescentes da tropa que ele guiava – 1º Batalhão de Rio Preto – pudessem dar-lhe sepultura cristã.
Antônio Amaro nasceu em Castello Velho, Portugal em 24 de abril de 1891, filho do Sr. Eduardo Amaro e da Sra. Anna Amaro. Era casado com a Sra. Cristina Martins Amaro, era comerciante e proprietário em Tanaby. Naturalizado brasileiro, exercera, por vezes, cargos público naquela cidade paulista.”



Fonte.

MONTENEGRO, B; WEISSHON, A.A. (org.) CRUZES PAULISTAS: os que tombaram em 1932 pela gloria de servir São Paulo: Empresa Gráfica da Revista dos Tribunais, 1936. 516p.

http://jambo.com.br/datas-comemorativas


Editado e publicado por Maria Helena de Toledo Silveira Melo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário