Objetiva-se publicar biografias, histórias de vida e de batalhas relativas à Revolução de 1932. Caso saiba de algo, entre em contato. Para maiores informações envie mensagem à malusim53@yahoo.com.br.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

A CARTA



Carta do ex- Sargento Ximenes.


Nesta carta, datada de 1941, recebida por meu pai, Joaquim Norberto de Toledo Junior também conhecido por seus amigos de 32 como Quincas Gaiteiro, seu amigo e companheiro de luta pelas trincheiras, Sr. Martinho Pinto Silva, relata algumas das dificuldades que os Soldados Constitucionalista enfrentaram nas frentes de batalhas durante a Revolução de 1932.

É a História contada pelos próprios protagonistas.













                                                      Arquivo particular.






Editado e publicado por Maria Helena de Toledo Silveira Melo.

sábado, 9 de agosto de 2014

Homenagem ao Dia dos Pais



Uma homenagem ao Dia dos Pais para todos os Pais e aos Pais de 1932, que viram seus filhos partir para os combates e muitos não os tiveram de volta.
Em especial uma homenagem ao meu avô, Cel. Joaquim Norberto de Toledo que teve entre seus filhos, quatro deles Voluntários na Revolução Constitucionalista de 1932, são eles: Gertrudes de Toledo, Luiz Bonilha de Toledo, Geraldo Pinto de Toledo e meu pai, Joaquim Norberto de Toledo Junior.



 Joaquim Norberto de Toledo, meu avô.








Carta de meu avô enviada a meu pai durante a Revolução de 1932.





À esquerda, meu pai, Joaquim Norberto e meus tios, Geraldo e Luiz.



Mensagem aos Pais



 A vocês, que nos deram a vida e nos ensinaram a vivê-la com dignidade, não bastaria um obrigado. A vocês, que iluminaram os caminhos obscuros com afeto e dedicação para que os trilhássemos sem medo e cheios de esperanças, não bastaria um muito obrigado. A vocês, que se doaram inteiros e renunciaram aos seus sonhos, para que, muitas vezes, pudéssemos realizar os nossos. Pela longa espera e compreensão durante nossas longas viagens, não bastaria um muitíssimo obrigado. A vocês, pais por natureza, por opção e amor, não bastaria dizer, que não temos palavras para agradecer tudo isso. Mas é o que nos acontece agora, quando procuramos arduamente uma forma verbal de exprimir uma emoção ímpar. Uma emoção que jamais seria traduzida por palavras.
 Amamos vocês!


Autor desconhecido.

Fonte - pensador.uol.com.br.



Editado e publicado por Maria Helena de Toledo Silveira Melo.