Objetiva-se publicar biografias, histórias de vida e de batalhas relativas à Revolução de 1932. Caso saiba de algo, entre em contato. Para maiores informações envie mensagem à malusim53@yahoo.com.br.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Clube de Ex – Combatentes de 32 de São Pedro.





Era intenção de meu pai, Joaquim Norberto de Toledo Junior, Voluntário da Revolução Constitucionalista de 1932, fundar um Clube de Ex –Combatentes de 32 - MMDC na cidade de São Pedro, diante deste intento coletou informações com os Voluntários que na época moravam na cidade.

A lista de Ex – Combatentes, moradores de São Pedro na época, era a seguinte:

ANTONIO LARANJEIRA
AUGUSTO VIEIRA
FERNANDO CLARO DA SILVA
JOAQUIM NORBERTO DE TOLEDO JUNIOR
JOÃO BATISTA MIRANDA
ONDINA MENDES PARREIRA
              LUIZ BORBA
SEBASTIÃO DE AZEVEDO AGUIAR
SEBASTIÃO AUGUSTO BRAGA
TERENÇO PERRONI.



Os documentos, anotações e depoimentos que publicarei aqui são os originais, e que seriam usados para filiação na Sociedade Veteranos de 32 – MMDC e para o recebimento da Medalha da Constituição, a qual todos os Soldados Civis e Militares da Revolução Constitucionalista de 1932, tinham direito, segundo a Resolução nº 330 de 25 de junho de 1962 pela Assembléia Legislativa de São Paulo.




































































Infelizmente com o falecimento de meu pai a idéia não se concretizou.






Nesta fotografia os Ex – Combatentes, à esquerda Sr. Sebastião Azevedo Aguiar, Sr Luiz Borba, Sr. Antônio Costa Laranjeira de terno claro, com o capacete Sr. Joaquim Norberto de Toledo Junior, as mulheres à esquerda Profa. Ondina Mendes Parreira e a seu lado a Profa. Aparecida Gravena Aguiar, esposa do Sr. Sebastião Azevedo Aguiar, atrás dela Sr Terenço Perroni.

 Esta fotografia foi feita em 1964 nas ruas centrais de São Pedro, SP durante a Marcha com Deus pela  Liberdade, onde os ex-combatentes participaram.




Editado e publicado por Maria Helena de Toledo Silveira Melo.


domingo, 27 de julho de 2014

Ex – Combatente de 1932 Homenageado em Cruzeiro, SP.


                                                          Nelson de Paula Mendes 


                                                                           A.C.Aristides




Nelson de Paula Mendes, brasileiro, nascido a 24 de agosto de 1912 na cidade de Cachoeira Paulista, SP, filho de Ignácio Mendes de Freitas e da Sra. Anna de Paula Senne.
Ingressou na carreira militar, em 20 de abril de 1932, como soldado voluntário da Polícia Militar do estado de São Paulo para participar da Revolução de 1932, com apenas 20 anos de idade.
Lutou bravamente por seu estado, nas cidades de Queluz, Piquete e Cruzeiro, na divisa de São Paulo e Minas Gerais no Túnel, marco da revolução.
 Casou-se e teve 6 filhos, hoje é viúvo e avô de 4 netos.
 Em 04 de fevereiro de 1937, foi a 1º Cabo, logo em seguida, em março, a 2º Cabo, passando em 1939 a 3º Sargento, em 1959 a Sub - Tenente e finalmente, reformou-se do serviço público da Polícia Militar como 2º Tenente, em 01 de dezembro de 1943.
Em 1989, foi condecorado pelo governador Exmo. Sr. Orestes Quércia, com a Medalha Valor Militar, em prata como reconhecimento aos bons, leais e constantes serviços prestados.
Elogiado por muitos e querido por todos, Sr. Nelson de Paula Mendes, completará no ano de 2014, 102 anos de vida.  




                                                                                                         A.C.Aristides



 NELSON DE PAULA MENDES, ex – combatente da Revolução Constitucionalista de 1932, foi homenageado com a Medalha Constitucionalista, em uma solenidade realizada, em 26 de julho de 2014, na cidade de Cruzeiro com a presença do Presidente da Sociedade Veteranos de 32 – MMDC, Cel. Mario Fonseca Ventura, o Comandante do Exército Constitucionalista, William Mascarenhas Worth e o Sr. Antônio Carlos Aristides, Fotografo, Associado e Companheiro de Armas da Sociedade Veteranos de 32 - MMDC.
Participaram deste evento histórico autoridades e personalidades de várias cidades, representantes das Policia Militar de São Paulo e de Minas Gerais, e também estiveram presentes os DD. Prefeitos das cidades de Cruzeiro, Ilmo. Sr. Rafic Zake Simão e de Passa Quatro, MG, Ilmo. Sr. Paulo Brito. Esta solenidade contou também com representantes da imprensa falada, escrita e televisiva.










 Publico presente no auditório no interior da Escola Arnolfo Azevedo da cidade de 
Cruzeiro, local onde foi assinado o fim dos combates da 
Revolução Constitucionalista de 1932.





Sr. Nelson de Paula Mendes




Momento em que o Sr. Nelson de Paula Mendes é condecorado, 
pelo Cel. Mario Fonseca Ventura, com a Medalha Constitucionalista.







        Sr. William Mascarenhas Worth, Comandante do Exécito Constitucionalista, 
        Sr. Nelson de Paula Mendes e   sua filha, Sra. Vera Lucia Sansevero.





Ao lado do Sr. Nelson de Paula Mendes o Sr. Antonio Carlos Aristides, 
Comandante William Mascarenhas Worth e ao lado do 
Cel. Mario Fonseca Ventura a Sra. Luciana Vilela.









Sr. Antonio Carlos Aristides e Comandante William Mascarenhas Worth 
juntos com a família do Sr. Nelson de Paula Mendes.



Cel. Mario Fonseca Ventura ladeado pelo Comandante William M. Worth 
e o Sr. Vicente Vale e representantes da Polícia Militar
 e da sociedade civil em frente do edifício da Escola Arnolfo Azevedo.


Visita ao solo sagrado do Túnel da Mantiqueira









Homenagem aos Heróis Paulistas que morreram no Túnel da Mantiqueira.




Comandante William mascarenhas Worth





Encontro, casual, com uma comitiva vinda de Lorena.






Sr. Antônio Carlos Aristides.







A partir da direita, Prof. Carlos Felipe do Nascimento, 
Cel. Mario Fonseca Ventura, Sr. Mario Jefferson Leite Mello e Sra. Elaine Melo.








Cemitério do lado paulista.


Cel. Maario Fonseca Ventura.




A estação de Coronel Fulgêncio.



  
Este evento foi idealizado pelo Sr. Antônio Carlos Aristides e o Comandante William Mascarenhas Worth e organizado pela Sociedade Veteranos de 32 – MMDC com a colaboração da Sra. Luciana Vilela e autoridades civis  e militares da região de Cruzeiro.



             Fonte:
             Informações biográficas enviadas por Maj. PM Felipe Nerivani.
             Fotografias de Antônio Carlos Aristides.




 Editado e publicado por Maria Helena de Toledo Silveira Melo




sábado, 12 de julho de 2014

2º Aniversário do Núcleo de Correspondência “Trincheiras Paulistas de 32 de Jaguariúna”.



O 10º Núcleo de Correspondência “Trincheiras Paulistas de 32 de Jaguariúna” completa oficialmente hoje, 12 de julho de 2014, o 2º ano de sua fundação. Foram publicadas 94 matérias em seu blog de relevante conteúdo para a história da Revolução Constitucionalista de 1932.
Nestes dois anos recebi diversas honrarias entre Medalhas e Diplomas. Recebi também o reconhecimento por parte da Prefeitura e da Câmara Municipal de Jaguariúna.
O blog do Núcleo de Correspondência “Trincheiras Paulistas de 32 de Jaguariúna” recebeu até o momento 15.000 visualizações de internautas do Brasil e de países como Estados Unidos, Alemanha, França, Rússia, México, Peru, Índia, China, Suécia, entre outros.
Em junho de 2013 foi criada uma página no Facebook que já alcança aproximadamente  300 curtidores e recebe visitas de internautas brasileiros, americanos, franceses, portugueses, filipinos. Já chegou a receber mais de 2000 visualizações em uma só postagem.
Agradeço ao Cel. Mário Fonseca Ventura, Presidente da Sociedade Veteranos de 32 – MMDC, ao Prof. Jefferson Biajone, Presidente do 1º Núcleo de Correspondência “Paulistas de Itapetininga! Às Armas! ao Sr. Egydio João Tisiani, Conselheiro do Núcleo de Correspondência “Voluntários Paulistas de Piracicaba” e aos Irmãos de Armas, Presidentes dos demais Núcleos de Correspondência pelo incentivo e colaboração.
Agradeço também aos leitores, amigos e seguidores do Blog do 10º Núcleo de Correspondência de 32 de Jaguariúna. Espero poder continuar oferecendo minha contribuição para o engrandecimento e enriquecimento da História da Revolução Constitucionalista de 1932 e a honrar os bravos heróis Soldados Constitucionalistas.












“Esta é a trincheira que não se rendeu:
a que deu à terra o seu suor,
a que deu à terra a sua lágrima,
a que deu à terra o seu sangue!


Esta é a trincheira que não se rendeu:
a que é nossa bandeira gravada no chão,
pelo branco do nosso Ideal,
pelo negro do nosso Luto,
pelo vermelho do nosso Coração.
a que atenta nos vigia,
Esta é a trincheira que não se rendeu:


a que invicta nos defende,
a que eterna nos glorifica!”


Trecho da Oração Ante a Última Trincheira – poesia de Guilherme de Almeida.





Editado e publicado por Maria Helena de Toledo Silveira Melo.