Objetiva-se publicar biografias, histórias de vida e de batalhas relativas à Revolução de 1932. Caso saiba de algo, entre em contato. Para maiores informações envie mensagem à malusim53@yahoo.com.br.

sábado, 22 de dezembro de 2012

Autêntico Soldado de 1932


Existem fatos que mostram bem como eram os paulistas dos tempos de outrora, notadamente na época da Revolução de 32. Entre os mais jovens não houve limite de idade para o engajamento na luta. Os mais idosos em geral não iam para as frentes de batalhas. Porém, não foi este o caso do Cap. Jayme, como pode ser observado no artigo a seguir.

Se esse espírito tivesse permanecido na população, a história do Brasil com certeza seria outra...

                                                                                                                                                                                             Luiz A. S. Melo
 
 
 
Arquivo particular

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Solenidade de Concessão do Colar da Vitória na Sede da Sociedade Veteranos de 32/MMDC


O Colar da Vitória, honraria evocativa dos 80 anos da Revolução Constitucionalsita de 1932 foi instituída pela Sociedade Veteranos de 32/MMDC de acordo com o Decreto nº 58.071, de 24 de maio de 2012, do Governador do Estado de São Paulo.


 Foto. Comenda Colar da Vitória

A honraria tem por finalidade homenagear personalidades brasileiras ou estrangeiras, bem como instituições que tenham colaborado para a divulgação de estudos relacionados com a nossa História e em particular àqueles que dizem respeito à gloriosa epopéia da Revolução Constitucionalista de 1932.

Concessão do Colar da Vitória aos Presidentes de NC

Em solenidade toda especial organizada na tarde do dia 11 de dezembro de 2012, pela presidência da Sociedade Veteranos de 32/MMDC em sua sede em São Paulo, foi com grande honra e satisfação que os senhores Prof. Jefferson Biajone, Egydio João Tisiani, 1º Ten PM Carlos Henrique Lorenço Rovina, Sra. Maria Helena de Toledo Silveira Melo, Dr. João Francisco Aguiar, 1º Ten PM Vitor José Bazzo, Sr. Silvio Luiz da Rocha e o Cap PM Eduardo Ceneviva Berardo, respectivamente presidentes dos núcleos de correspondência (NC) de Itapetininga (1º NC), Piracicaba (2º NC), Araçatuba (9º NC), Jaguariuna (10º NC), São Pedro (12º NC), Presidente Prudente (13º NC), Santo André (14º NC) e Catanduva (15º NC) foram recebidos para serem agraciados com a honraria do Colar da Vitória, nesse que foi também o primeiro encontro dessa categoria especial de membros da Sociedade Veteranos de 32/MMDC.


Para eu, que na qualidade de presidenta-fundadora do NC "Trincheiras de Jaguaríuna" estive entre os colegas agraciados, grande foi a emoção receber das mãos do Coronel PM Mário Fonseca Ventura, nosso amigo e presidente da Sociedade Veteranos de 32/MMDC o referido colar em nome de Jaguariúna, de nosso núcleo e de todos os nossos colaboradores.

Foto. Momento da imposição do Colar da Vitória pelo Cel Ventura
                              
Prestigiando e participando da solenidade estiveram a Dra. Maria Lucia Camargo, Diretora Social da Sociedade e o Sr. Amado Rúbio, Comandante do Exército Constitucionalista. Na tribuna, o professor José Carlos de Barros Lima, Diretor do Museu Histórico da Sociedade..


 Foto. Palavras de agradecimento do Cel Ventura
 
Foto. Ao lado de meu marido Dr. Luiz Antonio
 
Foto. Com o Cel Ventura e meus colegas presidentes de NC


Video. Agradecimento do prof. Biajone em nome dos agraciados.




.: Uma dedicatória toda especial :.

Imagem. Diploma do Colar da Vitória que recebi

Eu gostaria de dedicar o Colar da Vitória a meu pai, Joaquim Norberto de Toledo Junior, a meus tios Geraldo Pinto de Toledo e Luiz Bonilha de Toledo, à minha tia Gertrudes Bonilha de Toledo e à minha prima Ondina Mendes Parreira, familiares partícipes da Revolução Constitucionalista de 1932, aos quais tenho a honra de manter vivo o ideal pelo qual lutaram na busca pela liberdade e pela democracia.


PRO BRASILIA FIANT EXIMIA!





segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

MENSAGEM DE NATAL



 



A melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida.

 

 
 

 
O Núcleo de Correspondência Trincheiras Paulistas de Jaguariúna deseja a todos os amigos (as), leitores (as), colaboradores e seguidores um Feliz Natal e um próspero Ano Novo!




Maria Helena de Toledo Silveira Melo
Presidente

"AO COMBATE PELA VITÓRIA"

Exumação dos restos mortais do Gal. Isidoro Dias Lopes


Notícia em jornal da época sobre as comemorações de 9 de julho em 1956, realizadas pela Sociedade de Veteranos de 32 - MMDC.

 Com a participação do General Brazilio Taborda, convidado da Sociedade de Veteranos de 32 - MMDC e da Comissão das Solenidades de Itapetininga.



       Arquivo particular.




 
Isidoro Dias Lopes nasceu em Dom Pedrito, RS, em 30 de junho de 1865.

Filho do  vigário José Tavares Bastos Rios, casou-se com Jacinta Lopes. Entrou para o exército em 1883 na Escola Militar de Porto Alegre, fez o curso de artilharia e em 1891 foi promovido a Tenente. Apoiou o movimento que pôs fim ao Império. Em 1893, abandonou o exército e participou da Revolução Federalista, no Rio Grande do Sul, contra o governo de Floriano Peixoto. Após a derrota dos federalista, em 1895, foi para o exílio em Paris. Em 1896 voltou ao Brasil, foi anistiado e voltou ao exército no Rio de Janeiro, continuando a carreira militar.

Participou da articulação e da Revolução de 1924 em São Paulo onde foi promovido pelos rebeldes a “Marechal da Revolução”. Posteriormente juntou-se a Coluna Prestes.

 Após a derrota da Aliança Liberal, apoiou a Revolução de 1930, participando do governo de Getulio Vargas, como comandante da 2ª Região Militar em São Paulo, já no posto de General de Divisão.

Em 1931 se indispõe com Getúlio Vargas, substituído então por Góis Monteiro. Em 1932 foi um dos organizadores da Revolução Constitucionalista, e acabou deportado para Portugal. Anistiado em 1934. Em 1935 é procurado pelos organizadores do levante comunista para auxilia-los, mas recusa. Em 1937, afastado da política, critica o golpe e a ditadura do Estado Novo.

Faleceu forte e lúcido em 1949.
 


 

General Brazilio Taborda é homenageado pelo Núcleo de Correspondência Paulistas de Itapetininga! Às Armas!! com Diploma de Honra ao Mérito.

O Diploma de Honra ao Mérito General Brazilio Taborda foi criado a 1ºde setembro de 2011, em homenagem ao General de Divisão Brazilio Taborda, então coronel de Artilharia do Exército Brasileiro que durante a Revolução Constitucionalista de 1932 comandou o exército Constitucionalista do Setor Sul, sediado em Itapetininga, no atual prédio do DER. Trata-se, da maior honraria a ser conferida pelo Núcleo de Correspondência Paulistas de Itapeninga! Às Armas!! sendo trinta e dois o número máximo de seus agraciados anualmente. Sua concessão se reveste de solenidade toda especial na sede do Mausoléu dos Veteranos de 32, no Obelisco do Parque Ibirapuera, em São Paulo. A finalidade desta honraria é agraciar personalidades civis e militares que relevantes serviços prestaram no resgate e na preservação da memória e dos feitos de paulistas que combateram no Setor Sul do Estado de São Paulo durante a Revolução Constitucionalista de 1932.
 


Referências.


Disponível em http://pt.wikipedia.org/wiki/Isidoro_Dias_Lopes acesso em 9 de dez. 2012.

 Disponível em http://mmdc.itapetininga.com.br/honrarias.htm acesso em 9de dez. de 2012.

 

 
 

 
 
 
 
 





 
 
 
 

domingo, 2 de dezembro de 2012

"Grande Mestre" HERNÂNI DONATO











Hernâni Donato, formado em Sociologia e Política, nasceu em Botucatu, SP, em 12 de outubro de 1922, filho do Sr. Antonio Donato e  Sra. Adélia Leão Donato.

Começou a trabalhar aos 7 anos, foi aprendiz de alfaiate, balconista de loja, porteiro de cinema, redator de jornais de sua cidade, colhedor de algodão, funcionário dos correios, sitiante, professor, editor, jornalista, publicitário, tradutor e roteirista brasileiro.

Membro efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo e Academia Paulista de Letras pertence a inúmeras outras Academias do Brasil e do Exterior e é também Patrono da Academia Botucatuense de Letras.

Faleceu em 22 de novembro de 2012.
 
 
 
 
 
 
Capa do livro.
 
 
DONATO, H. A Revolução de 32. Círculo do Livro S.A., São Paulo, 1982. 224p.
 
 
 
 
 Uma pequena homenagem do Núcleo de Correspondência Trincheiras Paulistas de Jaguariúna ao “Grande Mestre”, Hernâni Donato, recentemente falecido